Koka - Proibição de cigarros eletrônicos impulsiona mercado paralelo
Proibição de cigarros eletrônicos impulsiona mercado paralelo
20/05/20242 min
Acessibilidade
Compartilhar

Proibição de cigarros eletrônicos impulsiona mercado paralelo

Um estudo realizado pela Federação das Indústrias do Estado de Minas Gerais (Fiemg), patrocinado pela BAT Brasil, revelou que o mercado de cigarros eletrônicos continua em expansão, mesmo após a proibição da Anvisa. Entre 2022 e 2023, as vendas cresceram significativamente, resultando em uma perda de R$ 3,4 bilhões em tributos para o governo, superando a projeção inicial.

A expectativa da BAT Brasil, um dos principais fabricantes de cigarros, é instalar uma fábrica de vapes caso o consumo seja liberado futuramente. Mesmo com a proibição em vigor desde abril deste ano, o consumo desses produtos não para de crescer, com o setor aguardando a possível aprovação de um projeto de lei do Senado que estabelece normas rígidas para a comercialização e fabricação dos cigarros eletrônicos no país.

Nesta terça-feira (21), está prevista uma audiência pública para discutir o projeto de lei, que atualmente está em análise na Comissão de Assuntos Econômicos (CAE). Segundo a Fiemg, a liberação dos cigarros eletrônicos poderia gerar até 124,5 mil novos empregos, entre formais e informais, para atender à demanda crescente por esses dispositivos.

Faça login para comentar
Faça um comentário:

Comentários:

0 Comentários postados

Entre em contato para assuntos comercias, clique aqui.

Veja também: