Koka - Fortunas dos mais ricos do mundo se recuperam em 2023
Fortunas dos mais ricos do mundo se recuperam em 2023
03/01/20243 min
Acessibilidade
Compartilhar

Fortunas dos mais ricos do mundo se recuperam em 2023

Foi um ano de retorno para os mais ricos do mundo. A fortuna combinada das 500 pessoas mais ricas aumentou em US$ 1,5 trilhão (R$ 7,27 trilhões) em 2023, recuperando totalmente os US$ 1,4 trilhão perdidos no ano anterior, de acordo com o ranking feito pela Bloomberg.

Mais uma vez, suas fortunas estavam intimamente correlacionadas ao desempenho das ações de tecnologia, que atingiram novos recordes em 2023, apesar dos temores de recessão, inflação persistente, altas taxas de juros e turbulências geopolíticas.

Os bilionários da tecnologia viram sua riqueza crescer 48% ou US$ 658 bilhões, impulsionados pelo intenso interesse em torno da inteligência artificial.

Ninguém se saiu melhor do que Elon Musk, que ultrapassou o magnata francês do luxo Bernard Arnault, dono do grupo LVMH, e voltou a ser a pessoa mais rica do mundo. O CEO da Tesla e novo dono do X (antigo Twitter) aumentou o seu patrimônio em US$ 95,4 bilhões neste ano até os dados compilados nessa quinta-feira (28), impulsionado pelo sucesso da Tesla e da SpaceX.

No ano passado, a fortuna de Musk havia diminuído US$ 138 bilhões. Sua fortuna agora é de US$ 232,39 bilhões (R$ 1,1 trilhão), mais de US$ 50 bilhões acima de Arnault, que teve o patrimônio afetado pela desaceleração global na demanda por bens de luxo, o que afetou as ações da LVMH, dona de marcas como Louis Vuitton e Dior.

O fundador da Amazon, Jeff Bezos, adicionou mais de US$ 70 bilhões à sua carteira este ano e agora está empatado com Arnault em segundo lugar. A lista dos cinco primeiros é completada por Bill Gates (US$ 140,51 bilhões) e Steve Ballmer (US$ 130,53 bilhões).

Fora do top 5, o CEO do Meta, Mark Zuckerberg, viu sua fortuna aumentar mais de US$ 80 bilhões no ano.

No ano, alguns milionários sofreram grandes perdas. O bilionário indiano Gautam Adani viu sua fortuna reduzir em US$ 21 bilhões apenas em 27 de janeiro sozinho, o que resultou na perda de US$ 37,3 bilhões ao longo de todo o ano.

Faça login para comentar
Faça um comentário:

Comentários:

0 Comentários postados

Entre em contato para assuntos comercias, clique aqui.

Veja também: