Koka - Binance, maior corretora de criptomoedas do mundo, opera no Brasil sem pagar impostos
Binance, maior corretora de criptomoedas do mundo, opera no Brasil sem pagar impostos
15/01/20242 min
Acessibilidade
Compartilhar

Binance, maior corretora de criptomoedas do mundo, opera no Brasil sem pagar impostos

Enquanto o governo federal busca aumentar a arrecadação e reduzir o déficit das contas públicas, a Binance, maior corretora de criptomoedas do mundo, movimenta bilhões no país sem pagar impostos por suas operações. A empresa é chefiada por Guilherme Haddad Nazar, sobrinho do ministro da Fazenda, Fernando Haddad.

A Binance tem sido alvo de atenção tanto no Brasil quanto no mundo desde o final do ano passado. No exterior, o CEO Changpeng Zhao, conhecido como CZ, renunciou ao cargo em novembro devido a investigações por suspeita de violar regras de prevenção à lavagem de dinheiro e descumprir sanções do governo americano. Ele confessou e aguarda sentença de prisão.

No Brasil, a empresa tem sido alvo de escrutínio, especialmente desde a CPI das Pirâmides Financeiras, onde foi caracterizada como a plataforma preferida para aplicar golpes. Tanto Nazar, sobrinho de Haddad, quanto o ex-CEO CZ foram indiciados.

Enquanto as corretoras estabelecidas no país pagam o ISS (Imposto Sobre Serviço) sobre as taxas de corretagem e reportam as transações dos usuários à Receita Federal, a Binance opera sem pagar impostos. Apesar de não ter oficialmente uma sede no Brasil, a empresa conta com uma operação robusta no país, com cerca de 200 funcionários. Além disso, o ex-ministro e ex-presidente do Banco Central Henrique Meirelles faz parte do conselho consultivo da companhia. A Binance também patrocina o Campeonato Brasileiro de Futebol (masculino e feminino) e o time do Santos.

A CPI das Pirâmides Financeiras identificou sete CNPJs pelos quais a Binance atua no Brasil, evidenciando a presença da empresa no país.

Faça login para comentar
Faça um comentário:

Comentários:

0 Comentários postados

Entre em contato para assuntos comercias, clique aqui.

Veja também: